Amo Dinheiro - Notícias sobre Bitcoin, Criptoativos e Blockchain

Tudo sobre a criptomoeda Ripple

O Ripple dentre todas as outras criptomoedas, é uma das que mais tem integração com o mercado. Sendo que ele teve o seu desenvolvimento iniciado em 2004! Bem antes do próprio Bitcoin!

Para aqueles que não sabem, o Bitcoin foi lançado em 2009, sendo que o Ripple já estava em operação desde 2004. É certo que nessa época ainda não era uma criptomoeda, e sim uma forma de pagamento (uma tecnologia para autenticação de transferências).

Atualmente o Ripple possui o terceiro lugar entre as moedas com maior valor no mercado. Observando que o Bitcoin possui em torno de 191 bilhões de dólares, Ethereum um pouco mais de 100 bilhões de dólares, e o Ripple mais ou menos 50 bilhões de dólares.

Podemos ver que o Ripple é uma das maiores do mercado. Mas será que  o acesso a tal moeda digital é fácil?

 

Comprando Ripple (XRP)

Infelizmente, diferente da grande parte das criptomoedas, o XRP não é de fácil acesso. Na verdade essa moeda digital é um tanto quanto escassa no mercado.

Uma das causas para isso, é o fato que grande parte dos Ripples se encontram com os seus fundadores. Não há tantas moedas sendo comercializadas.

Acreditamos que existam 100,000,000,000 de Ripples no mercado, porém, dessa quantidade, somente pouco mais de 38.000.000,00 estão em circulação, ou seja, grande parte está com a empresa ou com os fundadores da moeda.

Blockchains e tecnologia

Diferente do Bitcoin, que precisa de usuários para a manutenção do ecossistema da criptomoeda, no caso do Ripple é tudo centralizado.

Todos os usuários do sistema ou da criptomoeda acabam alimentando a cadeia de blocos. Ou seja, não existe a mineração.

Mesmo assim a segurança é excelente, sendo que o sistema do Ripple está sendo utilizado por uma parcela considerável dos bancos.

 

Sistema de transferências

Analisando mais a fundo a criptomoeda Ripple podemos ver que a moeda é muito mais do que um ativo, mas sim uma tecnologia.

A tecnologia que torna a moeda funcional é utilizada por grande parte dos bancos para autenticar transferências, tanto de valores quanto de bens entre pessoas.

Podemos citar algumas instituições financeiras que já utilizam o Ripple, elas são: Santander, American Express, UBS entre outras.

 

Uma empresa por trás

Fazendo a comparação entre o Ripple e o Bitcoin, no caso do Ripple temos uma empresa que está fomentando a tecnologia, além de certa regulação no mercado.

Por um lado, o apoio de uma empresa fornece mais segurança aos investidores, uma vez que se tem a ideia de que alguém pode fazer a contraparte na hora da venda ou compra (impedindo uma volatilidade anormal no mercado).

Por outro lado existe uma impressão negativa, uma vez que a empresa pode trabalhar para se beneficiar da volatilidade da moeda. Ou seja, se o Ripple se valorizar demasiadamente, eles podem vender mais ou se a moeda vir a cair, eles vão comprar.

 

Ripple se destruindo?

É fato que a cada transação realizada envolvendo Ripples, 0,000002 de XRP são destruídos. Existe uma estimativa que dessa forma, já foram destruídos aproximadamente 7 milhões de XRP.

Isso acaba reduzindo a quantidade de XRP no mercado, coisa que favorece a manutenção do valor de criptomoeda.

 

Diferente das outras moedas

Temos muitas diferenças entre a XRP e o Bitcoin, por exemplo. As duas moedas possuem a cadeia de blocos, ou Blockchain, mas para cada uma, essa cadeia é operada de forma diferente.

Enquanto o Bitcoin trouxe a descentralização das operações, sem haver uma instituição por trás. Sendo que o próprio código da criptomoeda fornece limites para emissão de Bitcoins e autenticação nas operações, o Ripple vem trazendo uma operação centralizada, onde a tecnologia fornece segurança em operações que podem ser feitas por bancos e demais instituições financeiras.

Além da tecnologia, temos a criptomoeda também. Sendo que grande parte das XRP estão sobre a guarda dos criadores da moeda.

Tudo sobre a criptomoeda Ripple
Avalie este post

Adic. comentário

Redes Sociais

Curta nossa página.