Amo Dinheiro - Notícias sobre Bitcoin, Criptoativos e Blockchain

O que é a mineração de criptomoedas e como funciona

Apesar de ser relativamente novo o mercado de moedas digitais mostrou ter potencial para se desenvolver ainda mais. Muitos investidores com perfil mais arrojado resolveram diversificar as suas opções e entraram nesse mercado. Além disso, processo de mineração de criptomoedas também se mostrou bastante vantajoso.

Caso ainda não conheça ou não possua nenhuma noção sobre esse assunto não se preocupe, pois os principais pontos para você começar a minerar criptomoedas serão destacados logo a seguir.

Mas de antemão saiba que para participar desse processo você precisará contar com dispositivos como, por exemplo, placas de vídeo ou outro equipamento específico para essa questão. Feito essa ressalva, vamos conferir finalmente o que esse termo representa no mercado de criptomoedas.

O que é mineração de criptomoedas?

O conceito por trás desse processo é constituído graças as transações de moedas digitais que precisam ser verificadas e validadas. Somente após essas etapas é que a transferência pode ser confirmada no livro aberto, a Blockchain.

Além disso, algumas moedas possuem uma quantidade limite de circulação como é o caso do próprio Bitcoin. Ou seja, o resultado da mineração de criptomoedas são pequenas recompensas pelo poder de processamento gasto para validar as transações bem como extrair novas frações da moeda digital que está sendo minerada no momento.

Mineração de Criptomoedas
Mineração de Criptomoedas

Para ficar ainda mais claro, basta assumir a analogia com ouro que também precisa ser minerado e, portanto, difícil de ser obtido, além de ser limitado. E sem contar que o processo é custoso.

Todos esses fatores também estão presentes na mineração de moedas digitais com diferença das ferramentas utilizadas nesse processo. Conforme citado logo no começo, placas de vídeos e outros dispositivos específicos são os que validam as transações e exploram as moedas que ainda não foram mineradas.

Nesse momento uma dúvida muito comum surge, mas o que esses dispositivos precisam fazer afinal? Todas as transações são códigos criptografados que precisam ser decifrados para confirmar as movimentações. E é nesse momento em que os equipamentos entre em ação.

Por isso quanto maior for o poder de processamento do dispositivo utilizado, melhor será a recompensa obtida pelo trabalho feito. Por outro lado, é preciso destacar que nem todo o resultado obtido é lucro dado que é necessário descontar os gastos de energia elétrica visto os aparelhos consomem muita eletricidade.

Dificuldade de mineração

Ao longo dos últimos, especialmente, o final de 2017, o mercado de criptomoedas ganhou bastante destaque. O motivo para isso se deve ao fato de que a valorização do Bitcoin foi surpreendente chegando a casa dos dezenove mil dólares.

Isso fez com que houvesse um grande crescimento de interesse em conhecer mais sobre a moeda digital bem como sobre mineração de criptomoedas. Como consequência disso, a rede da Bitcoin passa a fazer ajustes na dificuldade a cada doze dias aproximadamente.

Apesar de o maior número de mineradores contribuir para esse incremento, ele não é o único responsável por isso. Esse processo está previsto para ser usada dentro da tecnologia e, inclusive, pode diminuir a dificuldade. No entanto, para que isso aconteça é necessário que o poder da global diminua.

Se essa diminuição for sentida, o próximo ajuste irá decrementar a dificuldade de mineração fazendo com que a recompensa pelo mesmo poder computacional seja maior. Contudo, essa situação não é muito comum de ocorrer dado que a tendência é apenas aumentar o poder de mineração da rede pelo menos até todos os Bitcoins serem minerados.

Formas de mineração

Atualmente existem duas formas principais de mineração de criptomoedas. A primeira delas pode ser feita com o próprio computador com a ajuda de programas que se conectam a um serviço ligado a rede para validar as transações e extrair novas moedas. No entanto, é preciso destacar que devido aos custos de energia essa forma não é interessante.

A segunda opção é montar máquinas específicas para esse processo com várias placas de vídeo ou adquirir mineradores que foram projetadas especialmente para isso. Se as configurações forem feitas corretamente e a estrutura for devidamente montada pode ser uma forma de investimento interessante.

Caso queira ter noções sobre o quanto é possível extrair com determinados equipamentos, saiba que existem sites que calculam essa medida já levando em consideração a dificuldade de mineração de criptomoedas atual.

E a última forma é a mineração em nuvem. Basicamente, a ideia nessa opção é oferecer contratos que alugam máquinas e estruturas já montadas e devidamente configuradas para fazer o processo de extração.

Nesse caso você não fica responsável pelo aquisição, montagem e configuração dos materiais. Ou seja, apenas é preciso investir um valor x para começar a ser recompensado diariamente e proporcionalmente ao capital adicionado.

Mas antes de entrar nesse mercado, procure conhecer bem as empresas que oferecem esse tipo de serviço para não sofrer prejuízos.

Vale a pena?

Por de pesquisas em grupos que debatem sobre o assunto rapidamente poderá perceber que não existe um consenso a respeito de valer a pena ou não a mineração de criptomoedas. Há relatos de pessoas que conseguiram aproveitar as oportunidades do mercado e se deram muito bem como também há aqueles que não obtiveram os resultados almejados.

Por isso, antes de colocar o seu dinheiro em mineração de criptomoedas procure levar em consideração fatores como os destacados abaixo:

  • Dificuldade de mineração: por estar sempre aumentando é importante que o Bitcoin apresente a mesma proporção de valorização.
  • Foco de investimento: muito provavelmente você não conseguirá recuperar o valor que investiu se o fizer em Bitcoin. Isso também se deve a dificuldade da mineração.
  • Desvalorização: a moeda apresentou quedas consideráveis desde o final do ano de 2017. Se o valor se estagnar perto dos US$11 mil dentro de alguns meses o retorno dado pela mineração será baixo.
  • Instabilidade do mercado: dado que o mercado de moedas digitais tem sofrido algumas sanções, elas também estão sujeitas a desvalorizações. Consequentemente você pode nem sequer recuperar o valor investido.

Feito essas considerações a respeitos desse assunto é bastante difícil afirmar se vale a pena ou não. Essa questão talvez precise ser respondida por meio da análise do mercado atual e, principalmente, com base naquilo que o investidor acredita para o futuro dessa tecnologia. Além de considerar os preços praticados nesse mercado.

Esses são os principais pontos que você precisava conhecer sobre mineração de criptomoedas antes de se aventurar ainda mais por esse mercado bastante interessante.

O que é a mineração de criptomoedas e como funciona
Avalie este post

Adic. comentário

Redes Sociais

Curta nossa página.