Amo Dinheiro - Notícias sobre Bitcoin, Criptoativos e Blockchain

[Guia Prático] Compreenda os principais conceitos do mundo das Criptomoedas

Para se dar bem em qualquer área é necessário que se conheça o “jogo”, e no mundo das criptomoedas esse princípio não é diferente. Por isso antes de sair por aí comprando moedas digitais e criado carteiras eletrónicas, você primeiramente precisa entender os principais conceitos que regem este mundo.

Mas com tanta informação disponível por aí, você pode ficar desorientado sem saber que conceitos são necessários para começar a fazer as suas primeiras transações com conhecimento de causa, não é mesmo!

Pensando justamente nessa dificuldade, resolvemos preparar este guia prático que conta com os conceitos obrigatórios para todo iniciante no mercado das moedas digitais.

“Quer ingressar no mundo das criptomoedas com o pé direito, então não deixe de conferir nos próximos tópicos os conceitos mais importantes deste mercado, já a seguir”

#1 Criptomoeda

Este é um dos conceitos mais básicos desse guia, e consequentemente aquele que deve obrigatoriamente fazer parte da carteirinha de conceitos de qualquer um que decide iniciar nesse mundo.

Criptomoeda é nada mais nada menos que um tipo de moeda virtual que usa a criptografia com o intuito de garantir maior segurança nas transações financeiras feitas on-line.

Ressaltando que a criptografia está presente em todas as moedas digitais ou tokens digitais que são originárias de um sistema de blockchain, como é o caso do Bitcoin e algumas Altcoins (moedas alternativas ao Bitcoin que já somam cerca de 700 tokens digitais).

#2 Wallet ou Carteira eletrônica

As carteiras eletrônicas representam um dos elementos mais importantes no sistema das criptomoedas (se não for o mais importante), pois é justamente nelas que o usuário armazena as suas chaves Criptográficas Pública e privada.

Onde a chave pública é composta por um conjunto de números e letras sequenciadas que estão disponíveis ao público, essa chave é usada por exemplo na hora de receber fundos, onde o usuário da carteira compartilha o endereço da sua Wallet com um terceiro.

Já a chave privada é conhecida apenas pelo usuário, e é de grande uso na hora entrar na carteira (como senha) e na finalização das transações.

O mercado das carteiras eletrónicas conta com varias opções de armazenamento de criptomoedas, como é o caso das carteiras on-line, carteiras de hardware, carteiras em papel, carteiras Desktop e carteiras mobile ou moveis.

#3 Bifurcação (Fork)

No mundo da computação define-se a bifurcação ou ramificação como sendo o ato de um desenvolvedor pegar num código já existente e iniciar o seu próprio projeto em cima dele, com o objetivo de expandir o horizonte do código-fonte dando-lhe um novo propósito.

A Bifurcação de um código pode ser de dois tipos, o primeiro tipo é a Soft Fork (bifurcação simples), que tem como finalidade realizar uma atualização no código, e não alterar a base de funcionamento do programa (o sistema da blockchain).

Agora, o segundo tipo de bifurcação, a Hard Fork, implementa ações mais profundas no código, chegando até a alterar a estrutura do blockchain. É por este tipo de fork que muitas moedas digitais vêm sendo desenvolvidas na base do código-fonte da primeira criptomoeda, o Bitcoin.

#4 Cadeia de Blocos (Blockchain)

Tendo surgido em 2008 juntamente com a primeira moeda digital, a Blockchain atua como um “livro público de registro” de todas as transações que ocorrem no mercado das criptomoedas, fato este que o torna na única prova concreta de todas as operações na rede.

O blockchain funciona como o único intermediário entre as duas partes envolvidas numa transação de criptomoedas, e qualquer computador que esteja ligado a está rede, tem a tarefa de validar e repassar as transações, ficando sempre com uma cópia da blockchain no computador depois que a transação é repassada.

#6 Mineradoras (Minner)

Para quem deseja investir em moedas eletrônicas, o conceito “mineradora” é fundamental, pois são justamente as mineradoras que resolvendo problemas matemáticos complexos (o que demanda grande poder computacional), conseguem produzir linhas de dados verificados que são acrescidos ao Blockchain.

Como recompensa desse trabalho realizado pelos computadores das mineradoras, elas recebem novas criptomoedas. Por isso, é bastante comum encontrar serviços on-line de mineração vendendo poder computacional (Hash Power) para terceiros, de modo que estes possam realizar esse trabalho e acumular tokens digitais.

[Guia Prático] Compreenda os principais conceitos do mundo das Criptomoedas
Avalie este post

Adic. comentário

Redes Sociais

Curta nossa página.