Cemzinho

Dropshipping Brasil: 7 segredos que os gurus não contam!

Luiz A. da Luz

16 de novembro de 2019

Nossa missão aqui no Cemzinho é ajudar você a ganhar ou economizar cem reais ou mais de forma segura e honesta. As vezes fazemos parcerias com outras empresas que compartilham da mesma visão. Sendo assim, é possível que alguns dos links neste artigo sejam de um dos nossos parceiros.

No início deste ano, estava navegando pelas redes sociais e me deparei com o perfil de uma pessoa dizendo ganhar dinheiro viajando o mundo.

Fotos na primeira classe, salas de espera VIP, sempre nos melhores hotéis e restaurantes. Alegava ser nômade digital e que vivia de Dropshipping.

Por viver no exterior e já ter conhecimento do dropshipping, comecei a seguir o perfil e ver se havia algo diferente sendo praticado no cenário de Dropshipping Brasil.

Imagem de uma pessoa no computador e palavras ensinando como ganhar dinheiro online

Afinal, o que é dropshipping?

Dropshipping é uma modalidade de negócio, onde você realiza uma venda, mas não detêm o estoque físico do produto vendido. Ou seja, você vende um produto e o fornecedor desse produto o envia direto para o seu cliente.

Genial, não?

Em um mundo perfeito, o dropshipping é realmente algo genial. Diversas empresas faturam alto com a prática da modalidade. Alguns exemplos são Kanui, Americanas, Shoptime e outras tantas que vendem um produto sem tê-lo em estoque.

Mas antes que você saia por aí achando que encontrou o pote de ouro, você deve ficar atento às informações que você consome, principalmente as dos “gurus”.

Por este motivo, resolvi escrever este texto falando sobre o lado ruim e o que os gurus do dropshipping não contam para você:

1 – A atividade ainda não é regulamentada

Até a data em que este artigo foi escrito, não existe regulamentação para a atividade. Infelizmente, o empreendedor que se aventurar na prática do dropshipping internacional, estará à margem da lei.

Intermediar uma venda, lucrar com a atividade e não pagar os devidos impostos é ilegal. Este tipo de prática chama-se descaminho, que nada mais é que, a entrada ou saída de mercadorias sem passar pelos devidos trâmites fiscais e tributários.

Mesmo que você regulamente a questão do pagamento dos impostos de entrada e saída da mercadoria, por se tratar de um produto importado, você também teria que importar legalmente a mercadoria.

Logo, podemos dizer que o dropshipping com produtos do Aliexpress e outros sites internacionais, é ilegal.

2 – Você precisa de bastante capital para iniciar

A idéia de se ter uma empresa sem estoque, sem endereço fixo  e muitas vezes, sem funcionários é o que mais atrai as pessoas para o dropshipping no Brasil. A ideía de empreender com baixo investimento não é real.

Engana-se você que acha que irá montar um site, uma página nas redes sociais e sair faturando alto. Hoje em dia, as opções de tráfego orgânico (gratuito) alcançam cada vez menos pessoas e demora muito mais.

A segunda melhor opção é o tráfego pago. Como alcançar um grande público rapidamente para realizar o maior número de vendas? Tráfego pago.

Para ter algum resultado positivo, o investimento mínimo gira em torno de 3 a 5 mil reais em tráfego pago. Você precisa oferecer o produto certo, para o público certo e na hora certa. Logo, você precisa testar diversos anúncios até acertar a combinação, de produto, público e momento.

3 – 99% das informações são gratuitas

Todo o material oferecido em cursos e mentorias, 1% vem da experiência dos gurus e os outros 99% são materiais reciclados do que já está disponível gratuitamente na internet.

O Google e Youtube são os seus melhores amigos neste momento. Com uma pequena pesquisa, encontrei centenas de pessoas explicando exatamente como praticar o dropshipping internacional.

Desde a seleção do produto “vencedor”, criação da loja, marketing, processamento dos pedidos e escala.

4 – Você não tem um negócio

Todos os benefícios do dropshipping são geniais, porém o dropshipping internacional não é um modelo de negócio viável e vou explicar o porque. Você não tem um negócio, apenas é vendedor de um produto.

Por ser empreendedor (ecommerce tradicional), posso afirmar para você que uma das métricas mais importantes do negócio é o LTV (do inglês, Lifetime Value). O LTV é o ciclo de vida do seu cliente no seu negócio. Ou seja, vender o maior número de vezes para o mesmo cliente.

No dropshipping internacional, 99,9% das ocasiões, o LTV do seu cliente será 1. O cliente comprará apenas uma única vez. 

Isso ocorre pois a experiência de compra é péssima, uma vez que os clientes esperam de 30 à 60 dias para receber a mercadoria.

Logo, podemos dizer que você precisará vender o seu produto vencedor para um novo cliente todos os dias.

Outro ponto importante é que todo produto tem um ciclo de vida. Hoje ele é a sensação e em alguns meses ou semanas, o produto chega ao final do seu ciclo e para de vender. 

O ciclo de vida de um produto ocorre em todas as categorias, desde as montadoras de carros que todos os anos lançam um modelo novo todos os anos até as roupas que vestimos, que são renovadas a cada estação.

Já no dropshipping, as coisas são diferentes. No momento em que o seu produto chega no final do ciclo, você precisa pesquisar um novo produto vencedor e iniciar todo o processo novamente pois o seu LTV é 1. Diferente das montadoras ou marcas de roupas que podem vender para o mesmo cliente mais de uma vez, pois o seu LTV é maior que 1.

5 – Boletos, boletos e mais boletos

As coisas já não andam muito promissoras não é mesmo? Mas mesmo assim você teve coragem de iniciar no dropshipping. Então prepare-se para odiar a palavra: Bo-le-to.

Um problema real no dropshipping são os boletos. Pagamentos via boleto representam aproximadamente 50-70% dos pedidos e apenas 25% desses boletos são pagos. 

Você investiu tempo na pesquisa do produto vencedor, montou a sua loja, investiu verba em marketing, fez a venda por boleto, apenas para a pessoa não efetuar o pagamento. Lembra que falei que você iria odiar a palavra boleto? Risos.

Você precisa dedicar um tempo para a recuperação de boletos ou contratar alguém para fazer este serviço para você.

6 – Faturamento não é lucro

Um dos fatores mais convincentes de que é possível faturar alto e rapidamente com o dropshipping, é a amostra do faturamento da loja. É possível faturar 5, 50, 500 ou mais de 1 milhão de reais mensalmente.

Esta amostra vem no formato de imagens e vídeos onde os gurus do dropshipping brasil mostram o painel de controle da loja ou dos meios de pagamentos. Porém vale ressaltar que faturamento é bem diferente de lucro.

Faturamento é quanto você vendeu no total, e lucro é quanto realmente sobrou para você após arcar com todos os custos e despesas do negócio.

Vejamos, daquele número no painel de controle, 50% dele são boletos. Você ainda tem o custo dos produtos, gastos com o marketing (Facebook e Instagram Ads, Google, etc), você tem os gastos com a plataforma de ecommerce, gastos com os aplicativos na loja, comissões para plataformas de pagamento (espere pagar mais se for oferecer parcelamento sem juros), funcionários (dependendo do volume de vendas) e por fim, você também terá devoluções.

Daquele número grandão, descontando todos os custos e despesas, quanto você acha que sobra?

7 – Eles ganham dinheiro com você e não com dropshipping

Esta é a parte mais interessante e obscura do mercado. Infelizmente os gurus do dropshipping ganham mais dinheiro com você, do que fazendo o próprio dropshipping. Afinal, você já entendeu que o dropshipping não é fácil.

Lá no início desse texto, comentei que havia me deparado com o perfil de um nômade digital e que ele ganhava a vida faturando alto com dropshipping. Para fins de pesquisa, comprei 2 produtos de dois gurus diferentes, sendo 1 curso de dropshipping e outro, o close friends.

Brevemente posso dizer que o curso ensinava a pesquisar um produto no aliexpress, abrir uma  e configurar a loja online, e usar o facebook e instagram para gerar tráfego. Dava algumas dicas também de aplicativos para auxiliar na venda e automatizar os pedidos. 

Já o close friends, não ensinava muitas coisas e era focado no público intermediário que já tinha algum conhecimento de dropshipping. Nele, saia algumas sacadas de como aumentar o ticket médio, falava um pouco de copy e gatilhos mentais e de vez em quando, soltava um produto “vencedor”. Disponibilizava também algumas gravações de “lives” com outros gurus de diversos segmentos.

Nestes 6 meses em que estive no meio dos gurus, notei que a maior fonte de renda deles não é dropshipping, e sim a venda de cursos, mentorias e, pasmem, close friends. Os cursos custavam em torno de 250 reais cada, o close friends 500 reais e a mentoria à meros 4 mil reais. 

Infelizmente não tenho as métricas de quantos cursos foram vendidos, então não farei menção dos cursos. Porém, vi que cerca de 1800 pessoas faziam parte do close friends (1800 x R$500 = R$900.000,00)! Já as mentorias, sempre em grupos de 25 pessoas, ocorriam todos os meses e sempre esgotadas 2 ou 3 meses para frente. Faça os cálculos, 25 x R$4000 = R$80.000,00 por mês.

Não precisa ser nenhum gênio em matemática para entender que os gurus do dropshipping faturam mais de R$2.000.000,00 por ano sem fazer dropshipping. Afinal, porque ter todo o trabalho e incomodação do dropshipping se é possível informação?

Gênios!

Conclusão

A modalidade do dropshipping é genial, funciona e como já disse lá no início, muitas empresas faturam alto com ela. Porém o modelo de dropshipping com produtos importados de sites da china (conhecido também como dropshipping internacional),  não é viável e você irá perder dinheiro.

Este artigo não tem por intuito falar mal dos gurus e sim mostrar para você lado obscuro do mercado, para que você faça decisões baseadas em informações conscientes.

Deixe um comentário

Faça parte
da comunidade
Cemzinho!

Já somos mais de
10 mil leitores. :)

Matérias mais lidas