Amo Dinheiro - Notícias sobre Bitcoin, Criptoativos e Blockchain
economizar dinheiro

10 dicas para você viver sem dívidas

Infelizmente as dívidas são uma realidade na maior parte das famílias brasileiras. Para viver sem dívidas é necessário planejamento e organização.

A Confederação Comerciária CNC, nos traz um dado estatístico mostrando que aproximadamente 61% das famílias estão em dividas no Brasil até o fim de 2017. E ainda mostra que 26% das causas de dívida foi pela perda doe emprego.

É visível que no brasil a falta de emprego nos últimos tempos aumentou muito. Além disso, o povo brasileiro ainda vê juros altíssimos, inflação elevada entre outros pontos que acarretam ainda mais para as pessoas ficarem endividadas. Mas mesmo nesse momento difícil que o Brasil passa, ainda existem pessoas que conseguem viver sem dívidas. Mas será que isso é possível? Veremos nesse artigo 10 dias de como viver sem dívidas.

 

1 – Tenha um planejamento, essencial para viver sem dívidas.

Uma pesquisa realizada pelo SPC Brasil mostrou que quase metade da população de nosso país que são economicamente ativos não faz nenhum tipo de planejamento bancário. Em outras palavras não sabem pra onde vai seu dinheiro.

Esse é um erro comum que deve ser mudado. Pois é uma bola de neve do qual você gasta mais do que podia e acaba entrando em uma dívida. Tudo isso por não saber como está sendo gasto seu dinheiro.

O ideal é você ter um caderno, aplicativo ou utilizar qualquer outro método para saber quanto entra e quanto sai de seu dinheiro. Caso você não faça isso, é muito provável que você logo entre em uma dívida, isso se já não estiver em uma.

 

2 – Diminuindo os gastos

Depois de fazer a dica de número 1 é hora de organizar suas finanças. Desenvolva uma escala de 1 a 5 para cada gasto. Não se esqueça de nenhum gasto. Veja quais são os gastos realmente importantes e corte aqueles em que não se tem tanta prioridade. Faça isso até que seus gastos sejam menores do que o valor que você recebe. Pois assim, você poderá começar a pagar as contas.

Não pode ficar com medo de fazer cortes. Você pode muito bem viver uma vida mais simples e dar prioridade naquilo que realmente é necessário. Tem vários modos em que você pode economizar. Como por exemplo, parar de comer tanto fora, diminuir o tempo do banho, coisas simples que não te prejudiquem.

 

3 – Tenha controle sobre o cartão de crédito, caso contrário cancele-o.

Na pesquisa da CNC, 48% das pessoas responderam que tinham dívidas no cartão de crédito. Isso só mostra que deve-se ter um controle muito grande para poder ter um cartão. Caso isso esteja acontecendo com você, não tenha medo, cancele seu cartão, dando pelo menos um tempo necessário para você colocar as contas em dia.

Os juros nos cartões no Brasil são muito altos. É possível encontrar taxas que chegam a 400% ao ano. Para exemplificar isso, o que acontece é o seguinte: Você fez uma dívida de R$400,00 em janeiro. No fim do ano, em dezembro, essa conta estará no valor de R$ 2250,00. Os juros são muito altos, e é ai que as pessoas caem na dívida.

Talvez você pense que seja ruim cancelar o cartão. Mas é muito melhor cortar o mal pela raiz do que cair numa armadilha e complicar sua situação.

 

4 – Pague primeiro as dívidas mais caras

Uma das melhores opções é cortar a dívida do cartão de crédito primeiro, pois ele é uma das maiores dívidas do mercado. Depois, os cheques especiais e os empréstimos. É importante você verificar quais são as dívidas que tem os juros mais elevados. Corte-as primeiro para você poder ter um alivio mais rápido nos refinanciamentos com o banco.

 

5 – Evite pagar juros

Caso você já tenha cortados os gastos e está buscando viver sem dívidas, uma dica importante é renegociar sua dívida para reduzir os juros. Nem que seja necessário você pedir dinheiro emprestado para alguém, tente pagar a dívida sem buscar o banco. Pois, o banco tem como prioridade lhe fazer o empréstimo para você ficar como cliente deles.

Caso você tenha um bom histórico e seja uma pessoa de bem e honesta, provavelmente você não terá problema em arrumar o dinheiro. Quando conseguir o dinheiro com alguém, basta ir até a empresa em que você está devendo fazer a negociação e conseguir um bom desconto.

 

6 – Prefira pagamento à vista

Pagar à vista é sem dúvida a melhor forma de pagamento. Deixa você com a cabeça tranquila e não tem chances de você entrar em dívidas. Por isso, sempre que possível pague à vista. Com essa forma de pagamento você ainda pode conseguir um desconto, basta procurar preços em algumas lojas e negociar com os vendedores.

 

7 – “Se eu não comprar nada, o desconto é maior”

Frase do famoso Julius, pai do Chris (da série: Todo mundo odeia o Chris). Este homem tem como principal característica ser um ótimo administrador de dinheiro, sendo chamado até mesmo como “mão de vaca”. Siga o conselho do Julius e evite gastos desnecessários.

Hoje em dia o marketing está muito forte e cada vez mais tentador. Através de propagandas eles são capazes de colocar em nossas cabeças que precisamos comprar por causa do incrível preço. Não caia nessa, estude se realmente é necessário está compra.

O ideal é comprar apenas o necessário e não se empolgar com propagandas de promoções absurdas. Com certeza, isso te ajudará a viver sem dívidas.

 

8 – Aproveite-se da situação financeira do país

Os juros estão ai, quem não tem dinheiro, terá que paga-los, porém, quem tem dinheiro irá recebe-lo.

O Brasil está entre os países que mais pagam juros no mundo. E são inúmeros fatos que nos levam a isso. Entretanto, você pode aproveitar essa situação e ter um bom proveito disso com o passar do tempo. Hoje em dia por exemplo, os patamares de juros estão sendo considerados baixos, encontrando investimentos que chegam até mesmo a pagar 7,5% ao ano.

Siga o exemplo para entender melhor: Um jovem entrou no seu primeiro emprego com 18 anos de idade e recebe um salário mínimo. Desse salário, ele resolve investir R$ 250,00 em uma ação que rende 7,5% a.a. Suponha também que ele nunca mudou de emprego e a vida toda ganhou esse mesmo salário.

Quando chegar a 60 anos de idade, o valor que ele investiu por mês estará acumulado em R$ 377.070,60. Isso lhe permitiria aposentar recebendo R$ 2.573,28 por mês por cerca de 30 anos. Isso sem dúvida alguma é bem melhor do que se aposentar pelo INSS.

 

9 – Caso não consiga quitar suas dívidas, arrume uma grana extra

Se mesmo fazendo todas as dicas que já vimos você ainda não conseguiu quitar as dívidas, arrume uma grana extra. Hoje existem diversas maneiras de conseguir um dinheirinho extra, seja um freelancer, um uber, faça artesanato, dê aulas, busque algum jeito de arrumar esse dinheiro. Com isso você se livrará dos débitos e conseguirá viver sem dívidas.

 

10 – Imprevistos acontecem

Infelizmente não podemos prevenir certos imprevistos, como perda de emprego, acidentes, doenças entre outros. Mas podemos nos preparar para estarmos de pé, quando uma crise bater à porta na nossa vida financeira.

Tendo ordem nas finanças, fazendo investimentos em você e seu trabalho e guardando um pouco do seu salário, você certamente conseguirá viver sem dívidas.

10 dicas para você viver sem dívidas
Avalie este post

Adic. comentário

Redes Sociais

Curta nossa página.